Métodos de Treino Pessoais

Conversa sobre Música (teoria, instrumentos, instrução, dúvidas técnicas) e outras Artes.
Regras do Fórum
É obrigatória a utilização dos tópicos oficiais, no caso de temas para os quais estes existem.
Em caso de dúvida, contactem a moderação antes de abrir um tópico.

Só têm permissão para colocar mensagens nesta secção utilizadores com pelo menos 10 mensagens no fórum.
Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » segunda jan 26, 2009 2:17 pm

Não sei em que medida ouvir metal estimula o crescimento económico e o combate à pobreza. Se fosse blues ainda acreditava... :lol:

Midgard
Ultra-Metálico(a)
Mensagens: 2054
Registado: quarta ago 20, 2008 12:01 pm

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Midgard » segunda jan 26, 2009 9:57 pm

Anarchy Escreveu:
CarlosC Escreveu:Podem vir com o comentário do: tocar bem e ter bom som são coisas diferentes... mas sabem que mais, nunca vi ninguém que tocasse bem e tivesse mau som

"Vai masé ouvir Judas Iscariot pah! Aprende a fazer alguma coisa pa sociedade!" :lol:

Nem percebi se estavas a dizer bem ou mal de Judas Iscariot.
Fag :mrgreen: joke, para que conste eu conheço o Anarchy e ele vai perceber

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » terça jan 27, 2009 6:44 pm

MidgardsormR Escreveu:
Anarchy Escreveu:
CarlosC Escreveu:Podem vir com o comentário do: tocar bem e ter bom som são coisas diferentes... mas sabem que mais, nunca vi ninguém que tocasse bem e tivesse mau som

"Vai masé ouvir Judas Iscariot pah! Aprende a fazer alguma coisa pa sociedade!" :lol:

Nem percebi se estavas a dizer bem ou mal de Judas Iscariot.
Fag :mrgreen: joke, para que conste eu conheço o Anarchy e ele vai perceber


A minha opinião aqui é a generalizada,som de Black Metal bom é aquele que possui a menor qualidade de gravação. :lol:

Ok,matem-me...

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » terça jan 27, 2009 11:58 pm

como é que num tópico de apuramento de técnica se chega a um degredo destes :shock: LOOOLLLL
anyway, uma amiga minha mostrou-me uma cena de black queria que tocasse aquilo com ela, mas nem consegui ouvir, não se distinguia as notas nem as duas guitarras uma da outra, algo que adjectivo como distorções abelhudas e/ou lamacentas.
para mim aquilo era algo muito abstracto para ser passível de reproduzir. mais musica abstracta: http://www.myspace.com/abztraqtsirq
loollololol

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » sexta jan 30, 2009 12:43 pm

Tenho aqui mais uma particularidade que me aconteceu recentemente:

Eu normalmente treino com uma Sweatband na minha mão do fretboard para não esforçar demasiado o pulso. Noutro dia estava a treinar um lick que por mais que abrandasse nunca me saía correctamente, fosse nos trastejamentos, fosse em termos de som, fosse nas transições de notas, etc. Fartei-me e para não estar a criar maus reflexos parei pelo dia. No dia seguinte experimentei retirar a Sweatband e treinar o lick tal e qual como tinha feito antes. Os erros diminuíram para quase nenhum. Fazia o lick tal e qual como pretendia, mas fiquei na dúvida sobre como aconteceu isto. Alguém já lhe sucedeu algo igual? Será que uma Sweatband ou outra forma de restrição ajuda provocando mais erros, mas obrigando-nos mais a esforçar-nos para corrigi-los?

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » sexta jan 30, 2009 3:44 pm

óbvio não é... se tens algo a prender-te o pulso... isso nem para aquecer serve. Todo o aquecimento deve ser feito de forma natural com a irrigação espontânea dos vasos sanguíneos graças aos movimentos executados de forma descontraída e solta.
Por exemplo detesto o inverno, usar muita roupa, parece que fico preso... de verão é mais fácil sentir o corpo solto e ter uma postura muito mais relaxada na guitarra, executar os movimentos com mais naturalidade. No entanto cada caso é um caso...
Tocar guitarra não é nenhum desporto nem nenhuma ciência...

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » sexta jan 30, 2009 7:04 pm

CarlosC Escreveu:Tocar guitarra não é nenhum desporto nem nenhuma ciência...


Discordo do que está a negrito. :wink:

"Menos formalmente, a palavra ciência geralmente abrange qualquer campo sistemático de estudo ou o conhecimento obtido desse."

A Sweatband nunca a usei propriamente para aquecer o pulso, mas sim mais para evitar qualquer tipo de dores (sim,eu sei que se aquecesse o pulso não iria ter grandes dores...). E não respondeste concretamente à minha pergunta do fim: Será que compensa utilizar algum objecto que nos dificulte o processo, caso o mesmo nos faça duplicar os resultados de um treino quando não o utilizamos?

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » sexta jan 30, 2009 10:46 pm

Não vejo o que ciência tem que se possa relacionar com emoção, mas musica enquanto arte esta bastante relacionada com emoção. A não ser que não seja vista como tal... e tocar guitarra penso que seja para 'dar musica' :P
Não é nenhum desporto de treino nem nenhuma ciência de estudo, embora se use um pouco de ambos mas um modo totalmente diferente de qualquer outra área referida.

Será que compensa utilizar algum objecto que nos dificulte o processo, caso o mesmo nos faça duplicar os resultados de um treino quando não o utilizamos?


Aí depende muito do objecto, mas na questão de objectos no pulso não me parece que sejam apropriados para desenvolver uma melhor tecnica. Tal como praticar numa guitarra acústica para depois tocar na eléctrica também não é o mais apropriado: são expressões diferentes que se obtêm de instrumentos diferentes. Pode ajudar em alguns aspectos mas atrapalhar noutros.
Ter um bom método é mais importante que usar 'artimanhas' com objectos, que podem não dar garantias de bons resultados.

Mas a importância dos pulsos soltos, pelo menos para mim é extrema, mesmo de inverno arregaço pelo menos a manga direita, para a pele do meu ante-braço aderir ao verniz da minha strat, na zona curva, para que o meu braço fique mesmo muito relaxado. Foi uma descoberta que fiz recentemente mas que me tem ajudado nos últimos tempos.

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » sexta jan 30, 2009 11:24 pm

CarlosC Escreveu:Não vejo o que ciência tem que se possa relacionar com emoção, mas musica enquanto arte esta bastante relacionada com emoção. A não ser que não seja vista como tal... e tocar guitarra penso que seja para 'dar musica' :P
Não é nenhum desporto de treino nem nenhuma ciência de estudo, embora se use um pouco de ambos mas um modo totalmente diferente de qualquer outra área referida.


Explico assim a minha ideia em como a ciência se pode relacionar a emoções. Se a ciência abrange qualquer campo de estudo e os conhecimentos dele adquiridos, não considerarias que a guitarra é um objecto de estudo que serve para exteriorizar emoções? É o mesmo que um pintor ter que conhecer os seus pincéis e telas para a sua arte...sem sequer saber como dar uma pincelada, crês que irá sair alguma Mona Lisa de uma primeira tentativa? As emoções não passam de impulsos que o corpo humano possui para actuar,e neste caso, exprimir-se artisticamente, mas para se exprimir é preciso primeiro conhecer a ciência por detrás das artes (inspirações temáticas, que por sua vez provém das emoções, os materiais que se usam para a arte em si,etc).

É muito simples,

a ciência fundamenta as bases necessárias para a exteriorização da emoção, e as bases englobam todo o estudo sobre a maneira como o ser humano lida com as emoções, de forma a torná-las em algo produtivo e não destrutivo.

Just my toughts. Tou é todo fodido da cabeça hoje, portanto se virem alguma porcaria escrita da minha parte, por favor ignorem. :|

Avatar do Utilizador
Waltheer
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 276
Registado: sábado jan 14, 2006 1:13 pm
Localização: Desolation
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Waltheer » sexta jan 30, 2009 11:26 pm

Quanto à Sweatband...

Já me aconteceu ter que as tirar durante um concerto... Problema, com o aumento da circulação, o braço inchou e a sweatband estava a prender-me os movimentos... O mesmo acontece com pulseiras, relógios, etc.
Nail Your God Down

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » sábado jan 31, 2009 4:44 pm

Não confundas técnica com conhecimento musical, e técnica por si só não da expressão a ninguém... Para além de que, na ciência não existe subjectividade, existem valores exactos, no máximo arredondamentos lol. Isso não acontece na musica, pois para cada um de nós mesmo o lado técnico é sentido visto e interpretado de forma diferente. Nem na construção de instrumentos é possível ser cientifico, muitas vezes encontras objectos supostamente iguais mas com performances bem dispares...

Se a musica pudesse ter tanto de ciência como dizes, a musica considerada cientificamente boa teria de o ser para todo o planeta. Mas não o é, a musica depende de backgrounds culturais e experiências de vida e muitas outras coisas onde a ciência nunca irá chegar.

Mesmo a nível técnico não é cientifica, eu gosto de fazer desporto especialmente no verão e isso reflecte-se a nível técnico na guitarra. No entanto faço-o pela minha saúde. Mas qualquer um que faça exactamente o mesmo que eu pode ser afectado na guitarra de forma bem diferente, ou até nem notar diferença. Não há um estudo especifico, há infinitos estudos, cada musico tem o seu próprio... ou até nenhum... e cada um safa-se como pode, não cabe a ninguém julgar a relação que os outros têm com a musica. O exemplo do pintor encaixa-se aqui.
Há uns tempos vi 1 relato de uma historia interessante, colocaram 1 pintura à frente de uma analista de arte e ela ficou maravilhada com a obra prima surrealista uma coisa incrível, depois mostraram o vídeo de um chimpanzé a pintar o quadro... é nisto que a ciência aplicada à arte dá ;)

Se apreciares musica por aquilo que consideras correcto cientificamente, estas a preferir o 'chimpanzé' em detrimento emoções reais que a musica, enquanto arte, deveria provocar.

Se ouvires uma musica com teorias muito certas e coisas muito elaboradas, vais achar boa só porque sim? nem tudo o que é 'teoricamente correcto' é musicalmente expressivo. Então no jazz era terrível, com tanta re-harmonização se fosse tudo cientifico soava 1 grande porcaria... é preciso ir com o ouvido e com a alma, é aí que a ciência não serve a musica. A musica não é nenhuma ciência porque não existem emoções cientificas LOL (diga-se passíveis de ser avaliadas cientificamente)

Podes ser cientifico para ti próprio mas aí só te podes comparar a ti mesmo num intervalo deltaT, para te avaliares tecnicamente.
Se a musica depende-se de bases cientificas como dizes, não existia quem a conseguisse tocar de ouvido. E muitos autodidactas também tinham grandes dificuldades pois não eram grandes estudiosos que tinham as tais bases cientificas.

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » quarta fev 18, 2009 12:03 am

Não confundas técnica com conhecimento musical, e técnica por si só não da expressão a ninguém... Para além de que, na ciência não existe subjectividade, existem valores exactos, no máximo arredondamentos lol. Isso não acontece na musica, pois para cada um de nós mesmo o lado técnico é sentido visto e interpretado de forma diferente. Nem na construção de instrumentos é possível ser cientifico, muitas vezes encontras objectos supostamente iguais mas com performances bem dispares...


A tua noção de talento que disseste posteriormente baseia-se em técnica/conhecimento musical/feeling...ou tudo junto?
Podes considerar técnica também como parte do conhecimento musical. Não adianta teres o feeling na cabeça e não o saberes tirar cá pra fora..Mas também não adianta teres o feeling a tocar e não sair certinho por falta de técnica. Ambos são importantes mas pouca gente sabe conciliar os dois.

Se a musica pudesse ter tanto de ciência como dizes, a musica considerada cientificamente boa teria de o ser para todo o planeta. Mas não o é, a musica depende de backgrounds culturais e experiências de vida e muitas outras coisas onde a ciência nunca irá chegar.


Só por ser boa não quer dizer que teria de chegar a todo o planeta,nem que toda a gente tivesse de a ouvir. Pode-se ter ciência correcta e incorrecta. Depende do ponto de vista. O que é correcto para o cérebro de uns não o é para outros,yadayadayada. É a mesma coisa que a música depender dos modos de vida, a ciência também pode ser diversificada de acordo com as ideias de cada um.

Há uns tempos vi 1 relato de uma historia interessante, colocaram 1 pintura à frente de uma analista de arte e ela ficou maravilhada com a obra prima surrealista uma coisa incrível, depois mostraram o vídeo de um chimpanzé a pintar o quadro... é nisto que a ciência aplicada à arte dá ;)


Isso depende de muitos factores, um chimpanzé a criar uma obra de arte...Mas também duvido um bocado que um chimpanzé tenha uma noção de sentimento igualável à do ser humano. :mrgreen: Óbvio que não o fez intencionalmente, mas talvez a copiar de longe uma outra imagem, não sei. Não vi esse relato.

Se apreciares musica por aquilo que consideras correcto cientificamente, estas a preferir o 'chimpanzé' em detrimento emoções reais que a musica, enquanto arte, deveria provocar.


E se eu considerar algo cientificamente correcto "para mim" apenas, de acordo com o meu ponto de vista? Por exemplo, Black Metal pode ter um som sujo (em certos casos), e muita gente não percebe o que se passa em 3 minutos da música, mas eu gosto pelas minhas razões, sejam elas científicas ou emotivas. Eu continuo a dizer que para mim a emoção deve ser complementada por um mínimo de razão. Não vais estar triste apenas porque te apetece, nem vais estar eufórico porque sim. Tudo bem,a emoção deve ser exteriorizada, mas deve-se ter razão para isso. Uma pessoa chora do nada sem ao menos ter levado um soco bem dado na fuça? xD

Se ouvires uma musica com teorias muito certas e coisas muito elaboradas, vais achar boa só porque sim? nem tudo o que é 'teoricamente correcto' é musicalmente expressivo. Então no jazz era terrível, com tanta re-harmonização se fosse tudo cientifico soava 1 grande porcaria... é preciso ir com o ouvido e com a alma, é aí que a ciência não serve a musica. A musica não é nenhuma ciência porque não existem emoções cientificas LOL (diga-se passíveis de ser avaliadas cientificamente)


Não vou dizer que toda a música precisa obrigatoriamente de ser técnica. Assim estaria a ser um Nazi musical. Apenas afirmo que a razão está presente em tudo, até no mínimo de aparecimento de emoção.
A música tem tanto de ciência como de emoção na minha opinião. É isso que a torna tão interessante: Tanto estuda-se pelos seus conteúdos, como se aprecia pelo que nos toca na alma.

Podes ser cientifico para ti próprio mas aí só te podes comparar a ti mesmo num intervalo deltaT, para te avaliares tecnicamente.
Se a musica depende-se de bases cientificas como dizes, não existia quem a conseguisse tocar de ouvido. E muitos autodidactas também tinham grandes dificuldades pois não eram grandes estudiosos que tinham as tais bases cientificas.


Aí entra a ciência e a determinação do auto-didacta... :lol:

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » domingo mar 01, 2009 11:38 pm

A tua noção de talento que disseste posteriormente baseia-se em técnica/conhecimento musical/feeling...ou tudo junto?
Podes considerar técnica também como parte do conhecimento musical. Não adianta teres o feeling na cabeça e não o saberes tirar cá pra fora..Mas também não adianta teres o feeling a tocar e não sair certinho por falta de técnica. Ambos são importantes mas pouca gente sabe conciliar os dois.


O que isso tem a ver com a ciência, de onde tinhas feito o quote? Técnica é físico não é cientifico. O desporto não é ciência. Não me venham com histórias do conhecimento físico que a ciência catalogou porque o mais provável e ainda nem se saber da missa a metade.
Para alem que em suma a tudo isso, de que interessa alguém ser tecnicamente muito elaborao e tocar desprovido de emoção? odeio músicos assim...

Só por ser boa não quer dizer que teria de chegar a todo o planeta,nem que toda a gente tivesse de a ouvir. Pode-se ter ciência correcta e incorrecta. Depende do ponto de vista. O que é correcto para o cérebro de uns não o é para outros,yadayadayada. É a mesma coisa que a música depender dos modos de vida, a ciência também pode ser diversificada de acordo com as ideias de cada um.


Então admites que a musica é subjectiva, logo estás a contradizer-te se a relacionares com a ciência pois para uma determinada teoria cientifica nao pode haver qualquer objectividade: a ciência é exacta, precisa, meticulosa. Pode haver teorias diferentes, mas isso não são subjectividades de interpretação de uma mesma matéria.
Mesmo tu dizes ciência correcta e incorrecta, é porque existe uma padronização daquilo que deve ser.
A arte não se resume aos padrões de ninguém.

Óbvio que não o fez intencionalmente, mas talvez a copiar de longe uma outra imagem, não sei. Não vi esse relato.

Obviamente, a minha mensagem foi: se forem analisar arte de forma cientifica, até o "objecto de estudo" mais ridículo e desprovido de qualquer intenção artística de o ser poderá ser uma excelente obra, visto que a razão sobrepõe a emoção nesse campo de analises sintéticas.
(Podes no entanto ser cientifico a nível técnico, mas tecnica tem muito pouco a ver com arte.) Uma coisa são os meios, outra coisa é a obra em si.

sejam elas científicas ou emotivas.

aqui denunciaste-te de novo: não devias usar um 'ou' mas sim um 'e'.
então podes gostar de musica apenas pelo lado cientifico e não emocional? creio que não obviamente. :P

Quanto à lógica na exteriorização das emoções, enganas-te redondamente, há quem chore quando está feliz e ria quando está nervoso, há quem oiça disparos e nem pestaneje com "nervos de aço" e há quem se encolha e atire ao chão.
Aplicar lógica às emoções não é para a musica certamente :) isto demonstra um lado e deita abaixo qualquer outra teoria
como esta:
a ciência fundamenta as bases necessárias para a exteriorização da emoção

foste tu que disseste essa frase lá em cima...
pode haver alguns padrões identificáveis, mas meia verdade não é verdade absoluta, e a verdade absoluta é que não é possível racionalizar a forma como os seres humanos exteriorizam emoções (até podias falar do detector de mentiras, mais uma vez isso é apenas 1 parte do bolo, meia verdade portanto)
Já conseguiste descodificar o cérebro humano? mesmo existindo o suporte físico, a inteligência artificial muito pouco tem de emoção humana.

Não há nenhuma 'right way' para exprimir emoção, caso existisse, como explicarias shows como o 'stomp' transmitirem emoção a milhares de pessoas? e é algo que de comercial não tem nada diga-se de passagem até no metal existe muito mais comercialismo.

Neburis [RIP 2010/07/17]

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor Neburis [RIP 2010/07/17] » segunda mar 02, 2009 8:52 am

O que isso tem a ver com a ciência, de onde tinhas feito o quote? Técnica é físico não é cientifico. O desporto não é ciência. Não me venham com histórias do conhecimento físico que a ciência catalogou porque o mais provável e ainda nem se saber da missa a metade.
Para alem que em suma a tudo isso, de que interessa alguém ser tecnicamente muito elaborado e tocar desprovido de emoção? odeio músicos assim...


Desculpa, mas em que sentido é que a técnica ser física, não se engloba num campo científico? A anatomia e a própria noção de movimento é uma disciplina dada nas escolas, denominada "Física",que provém da sub-divisão da disciplina de "Física e Química". Queres falar com o Ministério da Educação sobre achares isso mal? Eu bem que o faria sobre outros assuntos, mas não me ia adiantar um grosso. E não, o desporto não é ciência. O desporto tem ciência.

Se não gostas de músicos mais técnicos do que emotivos, isso já é questão de gostos pessoais, não me aquece nem me arrefece. Em míudos, "caguei". Provavelmente Technical Death Metal não deve ser a tua chávena de chá.

Então admites que a musica é subjectiva, logo estás a contradizer-te se a relacionares com a ciência pois para uma determinada teoria cientifica nao pode haver qualquer objectividade: a ciência é exacta, precisa, meticulosa. Pode haver teorias diferentes, mas isso não são subjectividades de interpretação de uma mesma matéria.
Mesmo tu dizes ciência correcta e incorrecta, é porque existe uma padronização daquilo que deve ser.
A arte não se resume aos padrões de ninguém.


Já estás a sair do meu ponto de vista...Para mim,a ciência podemos ser nós próprios a fazê-la, criando um padrão nosso. Se entendes que queres fazer a tua ciência ser ouvida, já é outra coisa...A arte resume-se a padrões sim. Aos nossos padrões. Se achas que a arte não se resume aos padrões de ninguém, já não estarás a impingir uma regra de que a arte não é o ser humano que a dita? Então nesse caso deve ter sido Deus que disse: "Faça-se arte, mas que ninguém saiba como a fazer,é segredo". 8)

Obviamente, a minha mensagem foi: se forem analisar arte de forma cientifica, até o "objecto de estudo" mais ridículo e desprovido de qualquer intenção artística de o ser poderá ser uma excelente obra, visto que a razão sobrepõe a emoção nesse campo de analises sintéticas.
(Podes no entanto ser cientifico a nível técnico, mas tecnica tem muito pouco a ver com arte.) Uma coisa são os meios, outra coisa é a obra em si.


Em algum sítio neguei que até o motivo mais pequeno pode ser transformado em arte? Chato,pah... :lol:

sejam elas científicas ou emotivas.

aqui denunciaste-te de novo: não devias usar um 'ou' mas sim um 'e'.
então podes gostar de musica apenas pelo lado cientifico e não emocional? creio que não obviamente. :P

Quanto à lógica na exteriorização das emoções, enganas-te redondamente, há quem chore quando está feliz e ria quando está nervoso, há quem oiça disparos e nem pestaneje com "nervos de aço" e há quem se encolha e atire ao chão.
Aplicar lógica às emoções não é para a musica certamente :) isto demonstra um lado e deita abaixo qualquer outra teoria
como esta:
a ciência fundamenta as bases necessárias para a exteriorização da emoção

foste tu que disseste essa frase lá em cima...
pode haver alguns padrões identificáveis, mas meia verdade não é verdade absoluta, e a verdade absoluta é que não é possível racionalizar a forma como os seres humanos exteriorizam emoções (até podias falar do detector de mentiras, mais uma vez isso é apenas 1 parte do bolo, meia verdade portanto)
Já conseguiste descodificar o cérebro humano? mesmo existindo o suporte físico, a inteligência artificial muito pouco tem de emoção humana.

Não há nenhuma 'right way' para exprimir emoção, caso existisse, como explicarias shows como o 'stomp' transmitirem emoção a milhares de pessoas? e é algo que de comercial não tem nada diga-se de passagem até no metal existe muito mais comercialismo.


Mas tu és algum agente da autoridade para denunciar alguém de alguma coisa? Ou o teu trabalho diário é deitar abaixo opiniões? Não me estás a dar novidade nenhuma em relação ao conhecimento e à evolução do ser humano. Posso afirmar que como somos da mesma raça, tenho a mesma capacidade de aprendizagem e absorção de conhecimento que tu ou outra pessoa qualquer, desprovido de alguma existência de talento ou benefícios à nascença. O teu cérebro possui o mesmo número de células que o de todos os outros seres humanos. Se negas isso, já te estás a regir pela regra de que a ciência é errada para ti pois é composta por ideias confirmadas e regras pré-feitas, logo para seres rebelde reges-te pela regra pessoal de que não te deves reger por regra alguma. Oh, wait... :roll:

E quanto a isso dos Stomp, para criarem tantos potes, barris, chinqualhos e outras bugigangas, teve que haver um método de criação científico. Não vais criar um caixote do lixo porque o "sentes na tua alma" . :lol:

Espero é que este tópico não esteja a descambar para um propósito mais do que aquele descrito no nome... :|

Avatar do Utilizador
CarlosC
Metálico(a) Compulsivo(a)
Mensagens: 313
Registado: quarta nov 19, 2008 5:56 pm
Localização: Portimão
Contacto:

Re: Métodos de Treino Pessoais

Mensagempor CarlosC » quarta mar 04, 2009 12:36 am

Já estás a sair do meu ponto de vista...Para mim,a ciência podemos ser nós próprios a fazê-la, criando um padrão nosso.

Mas a ciência não é "rebelde", tem padrões universais, lei e regras estudadas e confirmadas por varias gerações.
Se fazes ciência e porque deves ser senhor do universo :)

A arte resume-se a padrões sim. Aos nossos padrões.

Eu achava arte algo fantástico e imenso, que vergonha afinal não passa de padrões...

Então nesse caso deve ter sido Deus que disse: "Faça-se arte, mas que ninguém saiba como a fazer,é segredo"

Acredita tu nisso, pois se para ti existem "formulas" para se fazer arte porque é que há tanto insucesso?
Se têm a formula, façam-na bem!!! mas não é o que se comprova na pratica...

És demasiado pragmático, extremamente mecânico e pouco humano no dialogo. A lógica por si vale pouco se não for usada correctamente.
Isso de todos termos o mesmo numero de células só prova que nem sequer tens o mínimo conhecimento daquilo que defendes: ciência.
Tal como o desacreditares nas diferenças, para ti os humanos são mecanicos "standarizados" e todos iguais, que ...

tenho a mesma capacidade de aprendizagem e absorção de conhecimento que tu ou outra pessoa qualquer, desprovido de alguma existência de talento ou benefícios à nascença.

Se somos todos intelectualmente iguais porque é que uns não pescam nada de matemática e bem os vejo a estudar e outros mal tiram apontamentos e sabem tudo? Porque é que há quem tenha reflexos rápidos e quem fique a processar informação? Porque é que há quem tenha "sorte na vida" e quem fique a "ver navios passar"?
Porque é que há crianças que começam a andar/falar/escrever mais cedo e outras mais tarde?

Bem é graças a essa tua visão cientifica de sermos todos iguais que o meu irmão quando come ganha uns bons quilos e eu se não comer vários quilos de comida por dia morro à fome com a pele colada ao osso. É porque temos o "mesmo numero de células".

Se a ciência está presente em tudo, porque é que há tantos defeitos? Porque é que há tanta coisa 'física' e 'cientifica' mal feita?
Opa, segue o teu caminho já dei mais que luzes para veres o meu ponto de vista mas pelo visto não estas nem aí como afirmaste, o que interessa é ter padrões e tudo ser lógico, até a própria existência dos pauzinhos chineses, é lógica, não é cultural!

E eu acho que os stomp usaram material "pré-concebido" não criaram objectos novos como obra de arte, a arte deles é sonora que eu saiba.
A tecnica deles é tocar, ou lá por eu fazer setups às minhas guitarras isso já entra como arte? mais um disparate para a colecção lololol

Com tanta defesa da lógica e tão pouca cultura este dialogo já me aborrece visto que é estar a chover no molhado... fale-se de tecnica neste tópico, a tecnica tem a sua dose de lógica, mas a musica tem muito mais do que lógica e do que padrões. É isso que a torna não aborrecida.
Se a arte fosse padrões(como afirmaste) era outro aborrecimento, estéril, artificial, previsível, sintético e não natural.
Eu cá gosto de produtos naturais não sou uma máquina :)

PS- eu não sou rebelde, deixo as "catalogaçõezinhas" para putos(ehpa sou tão rebelde que até mandei umas 'asneiradas' lá no IRS deste ano a ver se eles percebem que não estou para brincadeiras com a crise!! LOLOLOL), mas falando a sério sou lógico demais para aceitar a ciência como totalmente certa e humano demais para a desacreditar na sua totalidade. Apenas separo o trigo do joio, naquilo que é nitidamente óbvio!

E já agora um detalhe técnico: quando fazem tapping apoiam a mão direita no braço com o polegar? deixam a palheta encaixada nalguma parte da guitarra ou prendem na boca? ou fazem tapping dispensando o dedo indicador e mantêm a palheta na mão logo ready to go?


Voltar para “Música & Arte”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante