2017.08.24,25 e 26 - FESTIVAL ENTREMURALHAS 2017 - CASTELO DE LEIRIA/LEIRIA

Conde Satan
Metálico(a) Supremo(a)
Mensagens: 996
Registado: sexta out 07, 2005 12:38 pm
Localização: Leiria\Setubal
Contacto:

Re: 2017.08.24,25 e 26 - FESTIVAL ENTREMURALHAS 2017 - CASTELO DE LEIRIA/LEIRIA

Mensagempor Conde Satan » quarta jul 26, 2017 12:43 pm

ATARI TEENAGE RIOT - 26 AGOSTO - 00h00 - PALCO CORPO

A MÚSICA ABRASIVA DE PROTESTO EM FORMA DE TUMULTO DIGITAL DE UMA BANDA QUE NASCEU PARA GERAR CAOS

Formados em 1992, na Alemanha, os ATARI TEENAGE RIOT desde cedo se destacaram pelas suas marcantes prestações ao vivo. Até meados dos anos 90 nunca uma banda sem guitarras tinha conseguido gerar tão avassaladores concertos que acabavam, quase sempre, com tumultos e intervenção policial. O grupo cujo núcleo duro é Alec Empire e Nic Endo (ambos também com personalizadas carreiras em nome próprio) ostenta uma espinha dorsal fortemente politizada (com enfoque particular numa mensagem incisiva de combate à extrema-direita) e é percursor do chamado digital-hardcore, um estilo de música que mistura noise, ritmos electrónicos ultra-rápidos, samples de riffs de guitarra, elementos techno e vocalizações tipicamente punk. O “Riot Sound” (som da revolta, como Alec Empire lhe gosta de chamar) fez escola ao longo dos anos e muitas foram as bandas que se formaram e assumiram os ATARI TEENAGE RIOT como principal influência: ECO8OR, Delta 9, Cobra Killer, Chicks On Speed, Ultraviolence, The Berzerker, Le Tigre ou Kap Bambino (que tão boas memórias nos deixaram a quando da sua inesquecível e brutal actuação no ENTREMURALHAS 2013). A FADE IN tinha os ATARI TEENAGE RIOT sob mira para uma das próximas edições do festival ENTREMURALHAS mas o cancelamento do concerto dos Tuxedoomon (devido à inesperada e triste morte do seu baixista Peter Principle) fez antecipar a vinda deste também histórico colectivo ao Castelo de Leiria. A trepidação decibélica fazer-se-á sentir quando nas velhas muralhas reverberarem os ecos de temas tão icónicos como “Speed”, “Revolution Action”, “Collapse Of History”, “Too Dead For Me” ou “Blood In My Eyes”. E, paradoxo dos paradoxos, 25 anos depois de se formarem, a mensagem principal dos ATARI TEENAGE RIOT continua a fazer sentido. Estranho mundo este em que vivemos…

Conde Satan
Metálico(a) Supremo(a)
Mensagens: 996
Registado: sexta out 07, 2005 12:38 pm
Localização: Leiria\Setubal
Contacto:

Re: 2017.08.24,25 e 26 - FESTIVAL ENTREMURALHAS 2017 - CASTELO DE LEIRIA/LEIRIA

Mensagempor Conde Satan » quarta jul 26, 2017 12:43 pm

FRONT LINE ASSEMBLY - 26 AGOSTO - 01h30 - PALCO CORPO - ESTREIA EM PORTUGAL

31 ANOS DEPOIS DE SE FORMAREM EIS, FINALMENTE, A ESTREIA EM PORTUGAL DE UMA BANDA QUE SEMPRE ANDOU MUITO À FRENTE DO SEU TEMPO.

Os canadianos FRONT LINE ASSEMBLY são uma das maiores e mais influentes bandas electro-industrial de todos os tempos e é, por isso, com redobrado regozijo que a FADE IN os traz pela primeira vez ao nosso país, dando-lhes, claro, o Palco Corpo para terem as honras de encerramento do ENTREMURALHAS 2017. Formados em 1986 pelo ex-Skinny Puppy, Bill Leeb (também mentor de Delerium e de Noise Unit) e por Rhys Fulber (mentor de Conjure One, Delerium, e músico dos Fear Factory), os FRONT LINE ASSEMBLY cedo revelaram uma extraordinária apetência para criar arquétipos de uma estética musical em que, manifestamente, ditaram regras. Os seus quase 30 álbuns editados até à data foram (e são!) verdadeiros compêndios de como a música electrónica de reminiscências industriais poderia evoluir e transformar-se. Álbuns como Caustic Grip (1990), Millenium (1994), Hard Wired (1995), Flavour Of The Week (1997), Implode (1999) ou Epitaph (2001) delinearam tendências e foram responsáveis pelo aparecimento de centenas de bandas em todo o mundo que assumindo influências suas acabaram por, praticamente, replicá-los, repetindo até à exaustão, as novas fórmulas e métodos que a banda de Vancouver ia criando em cada etapa da sua existência. Mas os FRONT LINE ASSEMBLY, ao contrário de muitos dos seus discípulos que ficaram reféns de uma certa ditadura estética da qual nunca conseguiram sair, sempre foram um organismo vivo de experimentação tecnológica e por isso sempre desbravaram novos caminhos. Ouça-se por exemplo, o irrepreensível álbum de 2013 (Echogenetic) para se perceber como é que uma banda com uma longevidade tão grande consegue ainda manter-se à frente do nosso tempo. Paradoxalmente, e não obstante os anos que separam os primeiros dos mais recentes discos, há um elemento que ainda os une e que, indubitavelmente, confere identidade aos FRONT LINE ASSEMBLY: a voz (processada/distorcida electronicamente, raramente límpida). Ao vivo a banda transforma-se num quarteto de potência “avassaladora” e de atitude “rock” que a todos contagia e faz render. Mais uma vez se fará história no Castelo de Leiria!


Voltar para “Arquivo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante